As Relíquias da Morte

Eu tinha 12 anos quando li o primeiro Harry Potter. Lembro de pescar o livro de uma mesa toda tomada de cópias da Pedra Filosofal na Saraiva da 7 de Setembro. O segundo, peguei emprestado de uma amiga nesse mesmo ano. Logo depois, fui morar no Canadá e comprei o primeiro, segundo e quarto livros em inglês. O terceiro estava em falta e eu passei uma eternidade vendo aquele quarto livro, enorme, na estante, sem que pudesse lê-lo. O quarto Harry Potter foi o primeiro livro que fiquei acordada a noite inteira para ler. Aliás, li todos de uma vez só; era impossível deixar para o dia seguinte.

 

O quarto é, até hoje, o meu favorito. Acho que equilibra bem o lado mais divertido, de aventura, dos três primeiros com o tom cada vez mais sombrio e trágico do resto da série. O Cálice de Fogo também tem o confronto mais aterrorizante da série: de forma totalmente inesperada, Harry acaba, sozinho, enfrentando a maior ameaça de seu mundo. O melhor capítulo é “A História do Príncipe”, do sétimo livro, que revela ser Snape muito mais interessante e complicado do que poderíamos ter adivinhado. O capítulo é o mais emocionante (e triste) e recompensa aqueles de nós que sempre acreditamos que Snape era mais do que parecia ser. Talvez meu personagem favorito seja Neville, mas não vou entrar nos motivos, ou não acabo de falar das minhas coisas favoritas da série.

 

Acontece que o mais legal de Harry Potter não era isso. Eu já era uma criança que gostava de ler. Aos 12 anos, inclusive, já havia lido o Fronteiras do Universo, série de fantasia de Philip Pullman que considero melhor do que Harry Potter. Só que ninguém mais queria saber desses livros. Ninguém mais lia. A primeira vez em que me lembro ter tido uma conversa com amigos sobre livros foi quando Harry Potter foi lançado. De repente, surgiu um livro que todos liam. Mais: era uma série sobre a qual todos especulavam. Dos 12 aos 19 (quando o último livro foi lançado), tive incontáveis conversas com amigos de escola, cursinho, faculdade, no Brasil e no Canadá, sobre os personagens, as histórias e, sobretudo, sobre o que ia acontecer em seguida. Na internet, proliferavam teorias sobre o destino de Harry, Ron e Hermione. Pessoas do mundo inteiro dissecavam os livros em busca de pistas. Cada detalhe que J.K Rowling revelava era discutido à exaustão.

 

A sensação, para mim, ao menos, é de que a história continuava entre os lançamentos dos livros. Os personagens estavam apenas em suas férias de verão e voltariam em breve. A história era viva. Num certo sentido, tenho pena de quem não viveu essa época. Quem chegar agora vai terminar a história tão rápido quanto conseguir ler os 7 livros, mas não vai saber o que é vivê-la durante anos. Também não vai saber a tristeza de ter que se despedir.

 

Harry Potter sempre foi mais do que os livros. Com o lançamento do último filme (que estou contando os segundos para ver), se encerra de vez uma experiência única.

Tagged ,

2 thoughts on “As Relíquias da Morte

  1. Ta??s says:

    Eu fiquei completamente nost??lgica com o fim da s??rie…Lembrando de toda a ??ltima d??cada, da espera pelos novos livros…Enfim…Tamb??m tenho um carinho muito especial pelo 4?? livro! O cap??tulo ???Carne, Osso e Sangue??? foi simplesmente incr??vel! HP foi o primeiro livro que, de fato, entrou pra minha vida e abriu a porta (felizmente!) para in??meros outros…Ai, ai…Esses personagens s??o inesquec??veis…Sentirei saudades!

  2. Louise says:

    Nossa, nem fala! Quem não viveu a ansiedade de esperar lançarem os livros, os filmes, perdeu grande parte da magia e aventura! Eu sempre fui muito estudiosa, mas os livros que adotavam na minha escola dificilmente me prendiam tanta atenção, os lia uma vez para fazer a prova de português/literatura e ponto. Com Harry Potter foi diferente. Minha melhor amiga na escola (que é até hoje) me emprestou o 1º livro no ano que saiu o 1º filme, ou seja, eu li um pouco mais tarde que várias pessoas. Poucos meses depois do filme, foi meu aniversário e eu pedi até o 4 º volume. Reli o 1º e os demais volumes em menos de 1 semana. Um recorde para mim na época. Naquele limbo entre um livro e outro eu devorava novamente os que já tinha lido para não esquecer nenhum detalhe ou associação quando lesse o novo. Fora que quando foram saindo os filmes, me reunia com amigos para discutirmos as diferenças entre o livro e o filme, elaborar mais teorias sobre o resto da série. Era bom demais! Lembro que eu esperei sair A Ordem da Fênix em português (apesar de já saber inglês) e foi uma tortura. As Lojas Americanas aqui no Méier até abriram mais cedo para que as pessoas fossem comprar o livro. Às 8 da manhã eles abriram as portas e eu era a 1ª da fila, agarrei o livro correndo, fui no caixa e como estava de férias, voei para casa para ler. Só levantei para almoçar e jantar e terminei de ler 1 da manhã. O 6º e o 7º eu comprei em inglês, porque não dava para esperar! Lembro de ficar muito puta lendo o 6º, porque o tempo estava se esgotando e eu não tinha tido muitas respostas que eu gostaria depois da loucura do 5º. Mas o 7º, comprei no lançamento e eu não fui correndo para casa para ler. Eu evitei o livro por 1 ANO! Eu não conseguia olhar para ele. Não entrei em nenhum site de Harry Potter, parei de conversar com as pessoas sobre e consegui me bloquear de spoilers. Eu não queria que acabasse. Se eu lesse, por mais que houvesse os filmes ainda, significava o fim. Mas chegou uma hora que não deu mais para evitar o assunto, reuni a coragem que tinha e não tinha e fui ler logo antes que alguém estragasse. Chorei muito, horrores, por dias seguidos. Parecia que eu tinha perdido alguém importante da família. E a situação se repetiu quando acabaram os filmes. Não tinha blog, mas escrevi no Instagram:

    This was made in the sands of Copacabana beach, right in front of Copacabana Palace, where Tom Felton (Draco Malfoy) was staying since he came to Rio for a special premiere. These shadows are my friend Carol and I (from left to right), and we ate friends for overdose 18 years (we are now 24 and 23). We've watched the 1at Harry Potter together in 2001 and in july 15th (the day this pic was taken), we saw our last midnight premiere. These series mean a lot to many and is no different to us. I remember when we watched the first and were counting how old we'd be when all the books and movies would be released. It's very sad that the end has finaly come, but it's sure that Harry Potter's magic will never fade in our hearts. #HarryPotter

    A photo posted by Louise (@louisecazel) on

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: